Rio Grande
35 9 9725-8252
35 3521-3509

Aveia em grãos para bovinos: como e por que oferecer?

Por Rio Grande 06/12/2021
Compartilhe

A aveia em grãos para bovinos é uma excelente alternativa para o período de seca, capaz de oferecer nutrientes essenciais. Além disso, ela proporciona bons resultados em todos os regimes, como confinamento, semi-confinamento e pasto.

Contudo, é preciso atenção na hora de oferecer a aveia para o gado. Veja as principais recomendações e dicas que separamos.

Como dar aveia para o gado?

A aveia em grãos pode ser usada como substituto parcial do milho. Substituindo até 40% na matéria seca ou participando de 30% da dieta, sem prejuízos ao desempenho e à saúde dos animais. Uma outra forma de composição é usar: 85% de aveia + 15% de núcleo proteico.

Em relação ao manejo, a aveia pode ser usada inteira (sem moer), tornando mais fácil o manuseio e o fornecimento, além de reduzir os custos com a moagem. Porém, no caso de animais mais velhos ou com problemas de dentição, a moagem deve ser feita, porque eles não conseguem romper a casca do grão.

É muito importante que o uso da aveia seja ajustado nas formulações, pois, em excesso, pode provocar distúrbios metabólicos.

Pastejo

A aveia também pode ser usada para pastejo – sendo uma ótima alternativa para áreas extensas. O manejo ideal é aquele que possibilita uma disponibilidade média de forragem, pois é nessa condição que se observam produções máximas por unidade de área, devido à eficiente utilização da aveia produzida, contudo a produção por animal acaba ficando um pouco comprometida.

Um ligeiro subpastejo provoca maior eficiência alimentar (com o consumo seletivo de mais folhas de aveia), e, com isso, tem-se uma produção maior por animal.

Existem dois sistemas de pastejo que mais usam a aveia: contínuo (os animais ficam em um só piquete em todo o período de produção da forrageira) e rotativo (os animais mudam periódica e frequentemente de um piquete para outro).

Como a folha de aveia é de fácil digestibilidade, a recomendação é que o produtor inicie o pastejo por apenas 1 a 2 horas por dia, adaptando a flora ruminal ao novo ingrediente. Após a fase de adaptação, que leva em torno de 2 a 3 semanas, o pastejo pode ser estendido por períodos mais longos.

O pastejo deve iniciar quando as plantas atingirem aproximadamente 30 cm de altura – o que acontece em torno de 45 a 60 dias após a semeadura.

Silagem

A ensilagem da aveia com teor de matéria seca inferior a 19% não é indicada, porque pode ocorrer fermentação clostrídica. A pré-secagem da aveia acima de 40% da matéria seca é eficiente para redução das perdas nitrogenadas no silo. O aumento do teor da matéria seca restringe a fermentação como um todo.

O corte da aveia para ensilar deve ser feito no estádio de floração plena, porque é o momento com teor mais alto de açúcar, indispensável para o processo fermentativo. É preciso fazer a pré-secagem para reduzir o excesso de umidade, deixando o material de 2 a 4 horas no sol depois do corte. Se o corte for feito no estádio de grão pastoso, não é preciso fazer a pré-secagem, porque o teor de umidade estará no ponto ideal para ensilagem. Nesse caso, a silagem manterá o valor energético, mas perderá em teor de proteína.

Qual a melhor aveia para bovinos?

Tanto a aveia preta como a branca são usadas para bovinos, dependendo de como a aveia será oferecida. 

A aveia preta tem menor tamanho e rendimento dos grãos, porém maior produção de matéria seca, além de ser mais resistente ao pisoteio. Por isso é a mais usada para pastagens, cobertura de solo e produção de feno e silagem.

Já a aveia branca é mais cultivada para a produção de grãos destinados à alimentação humana e animal. O grão da aveia branca tem o dobro do peso da aveia preta. Porém, para a plantação, a aveia branca é mais exigente em fertilidade do solo.

A aveia preta tem recomendação de 180 kg/alqueire para pastoreio, podendo ser realizado até 3 pastejos, dependendo das condições climáticas.

Quais as vantagens da aveia em grãos para bovinos?

A aveia em grãos para bovinos tem uma série de benefícios – e justamente por isso tem se tornado uma alternativa interessante. Entre os pontos que podemos destacar estão:

  • custo mais acessível: preparar a nutrição com uma parte de aveia chega a custar 20% menos do que produzir apenas com milho e soja;

  • boa digestibilidade;

  • fonte de fibras e proteínas;

  • pode ser servida tanto em grãos como em silagem.

Para gado de corte, a aveia pode ser um nutriente interessante no ganho de peso. Um exemplo positivo dessa nutrição vem do pecuarista de Campos Novos, em Santa Catarina, que conseguiu engordar seus bezerros em 8 arrobas em 120 dias, com suplementação de pastagem de aveia e azevém.

Características da aveia

A aveia tem uma estrutura que oferece a ela um elevado teor de fibras (cerca de 10%), tanto com fibras solúveis (beta-glucanas), como insolúveis (presentes principalmente na casca, com celulose, hemicelulose e lignina).

O teor alto de fibra aliado à boa digestibilidade faz com que a aveia se torne um importante grão nas dietas com elevado teor de concentrado, mantendo o ambiente ruminal saudável.

A proteína da aveia também conta com boa digestibilidade, variando de 12 a 25% (teor bastante elevado quando comparado a outros cereais). Como tem de 44 a 61% de amido, a aveia também é importante fonte de energia – apresentando cerca de 87% dos nutrientes digestíveis totais do grão de milho.

Como a aveia tem maior teor de amilopectina na sua composição, ela é mais digestível que o milho.

Outros dados interessantes da aveia são: bom teor de extrato etéreo (entre 3 a 11%), cerca de 95% dos lipídeos do grão de aveia são compostos de ácidos graxos insaturados oleicos (41%) e linoleicos (39%), além do ácido graxo saturado palmítico (em torno de 15%).

Agora você já sabe tudo sobre aveia em grãos para bovinos? Aproveite e veja nosso conteúdo com 3 ingredientes para ração de bovinos de corte.

Receba nossos conteúdos

Veja Também

Suínos
24/04/2020 - Tendências em Suinocultura
Bovino de Corte
16/07/2020 - Quais os tipos de bovinos e como deve ser sua alimentação?
Bovino de Corte
25/08/2020 - Por que prezar pela formulação correta da ração?
Bovino de Leite
10/09/2020 - Rio Grande + Delaval: a parceria da produtividade leiteira!
Suínos
07/10/2020 - Como fazer a gestão da água na suinocultura industrial?
Bovino de Corte
15/10/2020 - Como emitir CND ITR?
Bovino de Leite
09/11/2020 - Bovinocultura de leite: 6 cuidados essenciais no manejo!
Suínos
14/12/2020 - Suinocultura no Brasil: 5 estados que são grandes produtores
Suínos
18/01/2021 - Rio Grande: Nutron e Rio Grande, a solução para os seus suínos.
Bovino de Corte
18/02/2021 - Qual é o agente causador da doença da vaca louca?
Bovino de Leite
10/03/2021 - Quantos dias por ano a vaca produz leite?
Suínos
02/04/2021 - Instrução Normativa estabelece boas práticas de manejo em granjas de suínos
Bovino de Leite
11/05/2021 - Mini vaca: guia completo com tudo o que você precisa saber!
Bovino de Corte
25/06/2021 - Gado de corte: as 8 melhores raças
Bovino de Leite
15/07/2021 - Desconto na conta de luz para produtores de leite: como funciona?
Bovino de Leite
21/07/2021 - Pecuária intensiva e extensiva: entenda a diferença entre elas
Bovino de Corte
25/08/2021 - Boi Angus: tudo o que você precisa saber sobre essa raça
Bovino de Corte
15/09/2021 - 3 ingredientes para ração de bovinos de corte
Bovino de Corte
13/10/2021 - Como fazer dimensionamento de piquetes para bovinos de corte?
Suínos
13/01/2022 - 2022: O que esperar da Suinocultura no Brasil?
Bovino de Corte
01/02/2022 - Quais os principais alimentos utilizados na nutrição animal?
Bovino de Corte
03/03/2022 - Pecuária brasileira: os 5 tipos de pecuária existentes no Brasil
Bovino de Leite
01/04/2022 - Hipocalcemia em vaca: o que é e quais os sintomas?
ATENDIMENTO ÁGIL E COMPROMISSO COM O CLIENTE DESDE JUNHO 2012.
RECEBA NOVIDADES
EM SEU E-MAIL
Rodovia MG-050, nº 33 (Pista Lateral com sentido á Itaú de Minas)
Passos - MG
CEP.: 37.902-538
  • 35 3521-3509
  • 35 9 9725-8252
  • © 2016 RIO GRANDE NUTRIÇÃO E SAÚDE ANIMAL . TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.